Marília / SP - domingo, 19 de janeiro de 2020

TIREÓIDE

 

TIREÓIDE

 

 

HIPOTIREOIDISMO

 

DEFINIÇÃO- MENOR AÇÃO DOS HORMÔNIOS TIREOIDEANOS NOS DIFERENTES TECIDOS. A PRINCIPAL CAUSA É A REDUÇÃO DA PRODUÇÃO E A LIBERAÇÃO DOS HORMÔNIOS TIREOIDEANOS PELA GLANDULA TIREÓIDE, DE FORMA PERMANENTE OU TRANSITÓRIA. AS VEZES PODEMOS TER UM QUADRO RARO EM QUE HÁ RESISTENCIA AO HORMONIO TIREOIDEANO. ESTA DIMINUIÇÃO PODE OCORRER POR COMPROMETIMENTO DA GLANDULA TIREOIDE( HIPOTIREOIDISMO PRIMÁRIO) OU DA HIPÓFISE( HIPOTIREOIDSMO SECUNDÁRIO OU CENTRAL).

A PRINCIPAL CAUSA EM CASOS CONGÊNITOS SÃO OS DEFEITOS MORFOLÓGICOS , TAIS COMO AGENESIA ( NASCER SEM A TIREÓIDE) OU MALFORMAÇÕES OU TIREÓIDE ECTÓPICA(A TIREÓIDE NASCE NO LOCAL ERRADO COMO POR EXEMPLO SUBLINGUAL). NO HIPOTIREOIDISMO ADQUIRIDO A PRINCIPAL CAUSA É A TIREOIDITE AUTO-IMUNE ( TIREOIDITE DE HASHIMOTO)  E OCORRE EM CERCA DE 2% DA POPULAÇÃO ADULTA FEMININA E 0.2% DA MASCULINA. AS FORMAS SUBCLÍNICAS, OU SEJA , AONDE O HORMONIO TSH FICA ENTRE 5-10 MCUI/ML PODE CHEGAR A 10% DA POPULAÇÃO.

TEMOS AINDA A HIPOTIROXINEMIA TRANSITÓRIA( FALTA TRANSITÓRIA DO HORMONIO), QUE PODE OCORRE EM RN PRÉ -TERMOS DE 25 A 29 SEMANS DE IDADE GESTACIONAL SUBMETIDOS AO ESTRESSE DA TRANSIÇÃO EXTRA UTERINA E TIREÓIDE IMATURA.A

 

QUADRO CLÍNICO DO HIPOTIREOIDISMO

 

FORMA CONGÊNITA

 

Surgem gradativamente ao longo dos primeiros meses de vida, quando não tratados precocemente. Assim, o quadro clínico pode se instalar ao final do 1º mês de vida em 10% dos casos, ao final do 3º mês em 35% dos casos e ao final de 12 meses em 75% dos casos.

 

SINAIS CLÍNICOS

      
Icterícia prolongada (37 dias)     
Fontanela anterior alargada (> 1 cm)        
Macroglossia-" LINGUA GROSSA"  
Distensão abdominaL
Hérnia umbical
Hipotonia  
Choro rouco    
Perfusão periférica inadequada     
Bradicardia
Diminuição de pressão arterial     
Derrame pericárdico        
Facies mixedematosa- edema        
Bócio       
Retardo na maturação óssea       
Retardo do crescimento         
Deficiência mental

 

Diagnóstico

 

Realizado pelo teste do Pezinho ou triagem neonatal e confirmado pela dosagem sérica de TSH E T4 LIVRE

 

 

VALORES DE REFERÊNCIA- para se fazer o diagnóstico de hipotiroidismo congenito:

 

 TSH Neonatal: ≥ 10 mcUI/ml

TNeonatal: ≥ 6 ng/dl

T4 Livre: normal

 

TRATAMENTO DO HIPOTIREOIDISMO CONÊNITO

 

- levotiroxina sódica administrada por via oral em jejum pela manhã

 

DOSES
DE REPOSIÇÃO DE LEVOTIROXINA

 

IDADE

DOSE (Ug)/Kg/dia

8 a 28 dias

10 a 15

1 a 6 meses

8 a 10

7 a 11 meses

6 a 8

1 a 5 anos

5 a 6

6 a 10 anos

3 a 4

11 a 20 anos

2 a 3

Adultos

1 a 2

 SEGUIMENTO DO PACIENTE

 

 1º   - Avaliação clínica: ganho pôndero-estatural, desenvolvimento neuropsicomotor do lactente

 

 2-Dosagem periódica do TSH (o ajuste da dose está diretamente ligado ao nível do TSH, até observar-se um TSH normal. Se o hipotireoidismo for central, o controle será feito pela dosagem de  T4  livres .

  

 3º -  Idade óssea anual e observação de sinais e sintomas de disfunção tireoidiana

 

 

            observação: A amamentação no seio melhora o prognóstico, pois o hormônio tireoidiano passa pelo leite materno.

 

            Duração do tratamento:

-         
Forma Permanente: durante toda a vida;

-         
Forma Transitória: durante o período necessário.

 

Valores alvos após 4 semanas de tratamento:

                        TSH < 10 mcUI/ml

                        T4 livre: normal

                        T4 total: 10 – 18 ng/dl

 

 

PROGNÓSTICO E
IMPORTÂNCIA DA TRIAGEM:

 

 

-         
Pacientes submetidos à Triagem Neonatal com diagnóstico e tratamentoprecoces apresentam prevenção da deficiência mental e demais danos provocados pela doença.

-         
crianças tratadas com doses baixas levotiroxiana tem QI menor do que os tratados com as doses adequada.


Crianças com diagnóstico e tratamento tardios apresentam:


- recuperação do ritmo de ganho pôndero- estatural
- melhoria do desenvolvimento psicomotor

- normalização dos parâmetros metabólicos alterados como por exemplo anemia

- 40% dos indivíduos afetados e não tratados têm QI < 55.

 -O prejuízo intelectual é recuperado mas nunca é restabelecido em níveis normais.
 - Algumas crianças podem não recuperar com tratamento pós-natal.

- Podem ocorrer lesões irreversíveis no SNC antes das manifestações clínicas;

 - Apenas 5% dos casos detectados pela triagem, têm suspeita clínica.

- Quanto mais precoce o diagnóstico e tratamento, melhor o prognóstico do
ponto de vista intelectual e neurológico. quanto maior a demora no inicio do tratamento menor será o QI da criança.

 

           

EM CONSTRUÇÃO O HIPOTIREOIDISMO ADQUIRIDO E HIPERTIREOIDISMO- MUITO OBRIGADA

 

 

   


 

 

PDF